No arranque do NOS Primavera Sound já foram cancelados dois concertos

A sul-coreana Peggy Gou não atuou esta quinta-feira no primeiro dia do Primavera Sound, no Porto, devido ao “mau tempo em Berlim” que cancelou o voo para o Porto.
Este foi o segundo cancelamento do dia, depois da anulação do concerto da britânica Ama Lou.

A DJ sul-coreana, cuja atuação estava marcada para as 1.30 da madrugada de sexta-feira, explicou que a situação estava “fora do controlo” de si e da produção, e estava “triste por falhar o concerto de hoje”, numa mensagem que foi divulgada pela organização do festival.

“Primavera, lamento muito mas o meu voo de hoje foi cancelado devido a mau tempo em Berlim — todas as opções para Porto ou Lisboa foram canceladas”, afirmou a produtora, que vinha para apresentar o disco lançado em abril: “Moment”.

No seu lugar esteve DJ Fra, produtor residente no Nitsa Club, de Barcelona, e do próprio festival da cidade espanhola, também responsável pela programação do espaço.

Antes, a britânica Ama Lou também tinha anunciado não poder atuar, por questões de saúde que a fizeram cancelar todos os compromissos nas próximas duas semanas.

No início da semana, foi a norte-americana Kali Uchis a anunciar o cancelamento, sem que tenham sido apresentadas razões para tal, sendo substituída pelo produtor português Branko, na sexta-feira.

O NOS Primavera Sound arrancou hoje para o primeiro de três dias no Parque da Cidade, com a abertura a caber ao português Dino D’Santiago, seguido da banda pop canadiana Men I Trust, depois de a ameaça de chuva e mau tempo, causada pela Depressão Miguel, ter levantado antes do arranque dos concertos.

A portuguesa Mai Kino, residente há vários anos em Londres, ocupou o espaço de Ama Lou, pelas 19:15, enquanto o palco principal abriu com a madrilena Christina Rosenvinge.

A música de 55 anos trouxe ao Porto “Un hombre rubio”, lançado em 2018, num dia que conta igualmente com artistas como Danny Brown, Built to Spill ou a norte-americana Solange.

O seu quarto disco de originais, “When I Get Home”, foi lançado no mês de março, e a atuação está marcada para as 00.30, já depois de concertos do britânico Jarvis Cocker, fundador e antigo líder da banda Pulp, uma das marcas da ‘britpop’.

A primeira de três noites, até sábado, terá concertos de Miya Folick, do ‘rapper’ português Allen Halloween ou Stereolab, fechando com Yaeji, já pelas 3 da madrugada.

Até sábado, o Parque da Cidade do Porto recebe nomes como J Balvin, Interpol, James Blake e Courtney Barnett, na sexta-feira, acabando com atuações de Erykah Badu, Jorge Ben Jor, Rosalía e Nina Kraviz, no sábado.

Notícia: Jorge Côrte-Real

Publicações Relacionadas

Deixe um comentário