Matosinhos. Feira do Emprego Universitário reforça posição de startups

A 5.ª edição da Feira Internacional de Emprego Universitário (FINDE.U) regressa terça-feira à Exponor, em Matosinhos, com um “reforço da participação de ‘startups'” e mais de “três mil oportunidades de emprego”, avançou hoje o vice-reitor da Universidade do Porto.

“A maior mudança que introduzimos [nesta edição] é o reforço de uma experiência que fizemos o ano passado que correu muito bem, que é a participação das ‘startups’ como entidades empregadoras”, disse, em declarações à Lusa, Hélder Vasconcelos, vice-reitor das relações com empresas, inovação e empreendedorismo.

Segundo Hélder Vasconcelos, também presidente do Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC), este reforço da participação de empresas de base tecnológica em fase de desenvolvimento visa também “fomentar” aquela que é a “terceira missão” da Universidade.

“Esta aposta permite desempenhar melhor a terceira missão da Universidade do Porto e auxiliar os projetos que estão a trilhar o seu caminho de sucesso em áreas muito inovadoras, e que, inevitavelmente reconhecem o potencial dos nossos estudantes porque vêm recrutar talento à universidade”, afirmou.

Nesta edição da FINDE.U, uma iniciativa que tem como parceiros a Universidade do Porto, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e a Universidade de Vigo, vão estar presentes ‘startups’ como a EZ4U, Didimo, Strongstep, Xpectraltek, Unono e 7Graus.

Além das ‘startups’, mais de uma centena de empresas, associações profissionais e organismos públicos vão reunir-se no Centro de Congressos da Exponor, em Matosinhos, para oferecer aos estudantes e jovens graduados empregos, estágios e bolsas de investigação.

Entre terça e quarta-feira, a Exponor abre assim as portas a mais de três mil oportunidades em áreas como o ‘marketing’, tecnologias de informação e comunicação, economia, gestão e engenharia.

À Lusa, Hélder Vasconcelos adiantou que nesta edição, à semelhança da anterior, o processo de recrutamento vai ser “simplificado”, uma vez que os currículos dos estudantes vão se ver “livres do papel”.

“O processo é mais simples, com ‘paper free’, o que nos parece que faz sentido em termos de sustentabilidade ambiental”, afirmou.

Pelas várias edições da FINDE.U já passaram mais de 12 mil estudantes, sendo que, em média, por ano, são transacionados 14 mil currículos.

Apesar do número de transações de currículos ser “significativo”, não refletem o número de estudantes que conseguiram emprego, algo que a Universidade do Porto pretende agora apurar através de um inquérito de satisfação.

“Gostávamos de saber daqueles participantes quantos é que conseguiram emprego, por isso, vamos tentar montar um inquérito às próprias empresas e estudantes para os consultar passado algum tempo e perceber o que dali resultou”, concluiu.

A FINDE.U vai funcionar, nos dois duas, entre as 10:00 e 18:00, sendo que o transporte entre os polos da Asprela e do Campo Alegre para as instalações da Exponor é assegurado pela Universidade do Porto.

Fontes: noticias ao minuto

Publicações Relacionadas

Deixe um comentário