Kastelo de Matosinhos leiloa obras de arte para angariar fundos

A primeira unidade de cuidados integrados pediátricos da Península Ibérica, Kastelo, em Matosinhos, realiza a 08 de novembro um jantar e um leilão com obras de arte de 62 artistas contemporâneos, na Casa da Arquitetura, para angariar fundos.

Aleilão vão estar diversas obras de arte oferecidas por artistas, sendo o valor total angariado para a associação, adiantou, em comunicado.

As obras a leilão, que começa às 18:30, apresentam valores a partir dos 200 euros e até aos seis mil euros.

Em exposição vão estar obras de, entre outros, Ana Jotta, Siza Vieira, Eduardo Souto Moura, Graça Morais, Joana Vasconcelos, João Onofre, Mauro Cerqueira, Nadir Afonso, Pedro Calapez, Pedro Cabrita Reis, José Pedro Croft, Pedro Proença, João Jacinto, Nikias Skapinakis ou Noronha da Costa.

“Cada jantar tem o custo de 60 euros, mas será da venda das obras que se aguarda, com expectativa, a angariação de receita que permita a concretização de alguns dos projetos da instituição, ainda não realizados, como a aquisição de uma máquina de raio X”, frisou.

A Comissão de Honra do Leilão de Artes do Kastelo é composta pelo arquiteto Álvaro Siza Vieira, a presidente do Conselho de Administração da Fundação de Serralves, Ana Pinho, a ex-ministra da cultura e professora da Universidade do Porto, Isabel Pires de Lima, o presidente da Casa da Arquitetura, José Manuel Dias da Fonseca, e a presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Luísa Salgueiro.

Este evento tem o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos, da Casa da Arquitectura, da Fundação de Serralves, da Sócatering e da Multicom, com o Alto Patrocínio da Presidência da República.

Esta iniciativa pretende reunir pessoas, empresas e organizações com o objetivo de ajudar a tornar o Kastelo um espaço ainda mais adaptado às necessidades de crianças com deficiências profundas.

Criada pela Associação Nomeiodonada, uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), o Kastelo nasceu em 2016 para apoiar crianças com doenças crónicas que somavam meses nos hospitais do Porto em cuidados intensivos neonatais e pediátricos e as suas famílias.

Este projeto tem como filosofia “Dar Vida Aos Dias” e procura disponibilizar às crianças o acesso a terapias diárias e a variados profissionais de saúde.

Desde a sua abertura, a unidade de internamento acolheu 77 crianças e a de ambulatório 64.

Desde 01 de outubro, o Kastelo tem mais 17 camas, 10 de ambulatório e sete de internamento, ficando agora na totalidade com uma capacidade de 37 camas, 17 de cuidados pediátricos integrados e 20 de ambulatório pediátrico.

Portadores de doenças paliativas, ou seja, doenças que não têm cura, estas crianças podem viver muito tempo e chegar à idade adulta embora com limitações graves.

fonte noticias ao minuto

Publicações Relacionadas

Deixe um comentário