Costa anuncia que todas as escolas vão encerrar durante 15 dias

Depois de ter sido antecipada a reunião com os especialistas para a noite de ontem, o Governo reuniu hoje em Conselho de Ministros para analisar a “alarmante progressão” da epidemia em Portugal, designadamente o crescimento da variante britânica do novo coronavírus, e “decidirá em conformidade” para “salvar vidas”.  

Assim, e perante os novos dados, e numa altura em que o país quebra novos máximos de contágios e de mortes dia após dia, o Executivo decidiu encerrar todas as escolas do Ensino Básico, Secundário e Superior. 

“Face a esta nova estirpe e à velocidade de transmissão que ela comporta, manda o princípio da precaução que procedamos à interrupção de todas as atividades letivas durante os próximos 15 dias, anunciou António Costa, indicando que a suspensão será compensada no calendário escolar da forma que o Ministério da Educação irá ajustar com os diretores das escolas. 

O primeiro-ministro adiantou que o o Instituto Nacional de saúde Pública Ricardo Jorge forneceu ontem dados sobre a nova estirpe, verificando-se que há um crescimento “muito acentuado” da presença desta variante no nosso país. Na semana passada tínhamos 8% de prevalência, esta semana temos 20%, e os estudos indicam que possa ter um crescimento muito significativo, podendo chegar a 60% nas próximas semanas. 

Neste quadro, tal como aconteceu no confinamento de março, são adotas um conjunto de medidas para apoiar famílias com crianças com idade igual ou inferior a 12 anos. Em primeiro lugar, terão as suas faltas justificadas ao trabalho (caso não estejam em teletrabalho) e haverá um apoio idêntico ao que foi dado noutra fase do confinamento. 

O primeiro-ministro chamou a atenção que, não obstante haver esta interrupção, e de forma a mitigar o seu impacto, manter-se-ão abertas as escolas de acolhimento para as crianças com idade igual ou inferior a 12 anos, cujos pais trabalham em serviços essenciais. Continuará a ser assegurado o apoio alimentar a todas as crianças que beneficiam de ação escolar social. Além disso, todas as atividades relativas à intervenção precoce e o apoio às crianças com necessidades educativas especiais também não sofrerão interrupção. Manter-se-ão a funcionar as comissões de proteção de crianças e jovens “para assegurar que os direitos são integralmente protegidos”. 

Portugal registou ontem o pior dia da pandemia, ao somar mais 219 mortos e mais de 14 mil contágios, prevendo-se ainda um agravamento da situação nos próximos dias. Alguns hospitais já atingiram a situação de rutura. Esta quinta-feira, o boletim da Direção-Geral de Saúde indica que morreram nas últimas 24 horas 221 pessoas (um novo máximo). Foram diagnosticados no mesmo período 13.544 infetados. 

Fonte: Notícias ao Minuto

Publicações Relacionadas

Deixe um comentário