Ambientalistas recolhem 40 toneladas de plástico do Pacífico

Trata-se da maior concentração de plástico flutuante do mundo.

Durante 25 dias, um grupo ambientalista passou a recolher lixo do “vórtex de lixo do Pacífico“, a maior concentração de plástico nos oceanos,plástico esse que vai agora ser transformado em arte e em energia.

Os responsáveis descrevem-na como “a maior e mais bem sucedida limpeza do oceano de sempre”. Ao longo de 25 dias, foram 40 toneladas de plástico recolhidas do Oceano Pacífico pelo grupo ambientalista Ocean Voyages Institute.

Garrafas, embalagens, material de pesca e até brinquedos de crianças foi algum do lixo encontrado.

O grupo focou-se na Zona de Convergência Subtropical, forte corrente que fica entre o Havai e a Califórnia. Esta zona alberga o “vórtex de lixo do Pacífico”. 

A equipa recorreu a satélites e a drones para recolher o plástico. Só em redes de pesca gigantes o peso chegou às 13 toneladas. “É muito importante retirar as redes monstruosas dos oceanos. Mas, às vezes, são as mais pequenas que envolvem e acabam por matar baleias e golfinhos”, explica Mary Crowley, fundadora do Ocean Voyages Institute.

Cerca de 1,5 toneladas do plástico recolhido vai ser doado a um programa de arte da Universidade do Havai e a artistas da ilha. O objetivo é transformar o lixo em arte. O restante plástico vai ser transformado em energia por uma empresa havaiana.

“Foram 40 toneladas mas é apenas uma gota no oceano”. O que fizemos é pequeno comparado com a magnitude do problema. Mas é uma ação que se pode disseminar”, afirmou Mary Crowley.

A fundadora da organização está agora a planear uma expedição, desta vez de três meses, para recolher ainda mais lixo naquela área.

O “vórtex de lixo do Pacífico” tem 1,6 milhões de quilómetros quadrados de área, três vezes o tamanho de um país como a França. A The Ocean Cleanup informa que há 1,8 triliões de pedaços de plástico a flutuar nesta área, o que perfaz uma estimativa de 80 mil toneladas de lixo. 

Notícia: Daniel Bento

Publicações Relacionadas

Deixe um comentário